• Cristiane d'Avila

Sábado, 16/10/1920

Atualizado: Jun 15

Coluna Bilhete

Transcrição


Desembargador Geminiano – Li ontem na Folha, jornal que, como A Pátria, os seus novos agentes rasgam de vez em quando, a seguinte edificante local:

“AGRESSÕES IMINENTES – É sempre com grande escrúpulo que noticiamos quaisquer atentados contra esta folha e os que a redigem. Parece, às vezes, haver nisso um simples desejo de reclame.


“Quem der essa interpretação às nossas palavras muito, entretanto, se iludirá. O governo sabe perfeitamente que A Folha não precisa mais de ‘reclame’. O Sr. Epitácio já lhe deu o maior de todos, mostrando como este jornal previu bem tudo o que deveria ser o seu governo quando ainda havia tanta gente que se iludia.


“Em todo caso... nós temos excelentes informações de que a polícia projeta agressões aos Srs. Maurício de Lacerda e Paulo Barreto. Completa a trindade dos indicados às cóleras vingadoras do Catete o redator-chefe desta folha.


“Se as nossas informações são exatas, essas agressões se darão assim que o rei Alberto parta.


“Aqui damos a notícia, com a certeza de que ela tem fundamento, mas, sem em torno dela, fazer o menor espalhafato.”

Não quero também fazer espalhafato – porque acredito plenamente que o desembargador é capaz de mais como chefe da Desordem Policial. Mas permita, vosmecê, que o considere ingrato. Pois então eu indico ao presidente o seu prodigioso esforço em agitar a população pacata para bem servi-lo, eu aponto aos olhos do mundo a sua admirável ação de Chefe Vermelho, ou (segundo as fitas americanas) de Cara Pálida vencedor, e vosmecê vai mandar arrasar um entusiasta? E como escapar, desembargador, quando toda a gente sabe onde moro, onde trabalho, a que horas tomo o automóvel que me conduz a casa?


Antes da (sic) Folha ter dado essa notícia, em que o desembargador, depois de ter dito onde está o Antonio Silva, aparece querendo liquidar a Câmara e o Jornalismo, muitos amigos mesmo daí da Polícia me haviam prevenido do intento dos secretas de vosmecê.


Apenas, o que eu não compreendo é que vosmecê, o maior cinematografista da visita real, resolvesse deixar esse caso de para depois da partida de S. M. O Rei Alberto, graças a vosmecê, viu uma greve geral, viu o Rio com bombas, viu um chefe que escamoteia operários, viu estado de sítio sem haver estado de sítio, viu coisas do arco-da-velha e do Cara de Velho.


Era natural que viesse também o espostejamento desses três idiotas, que não admiram as suas evoluções da Ubirajara Policial. Não, desembargador, não adie esse divertido acontecimento, pelo amor de Deus! O programa de vosmecê foi todo para o Rei Alberto ver. Não é possível que esse número seja para o Rei não ver... Seria o único. O seco cérebro de vosmecê e os braços dos seus capangas devem agir. Ainda há tempo. S. M. parte logo. Ordene o combate para sair nos jornais da tarde. E, creia-me, cheio de dó por tudo isso, seu renitente admirador.


João do Rio.

44 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo